Monday, March 15, 2010

Barulho

O meu vizinho de baixo acha que os meus filhos fazem muito barulho. Provavelmente ele tem razão. Os meus filhos são, como dizê-lo?, um pouco enérgicos. Indomáveis, mesmo. Correm, saltam, gritam, um atrás do outro, um à frente do outro, empurrando-se um ao outro. Tentamos minimizar os estragos. Em casa só podem jogar com bolas de pano e andam sempre descalços. Tentamos impedir (embora nem sempre consigamos) que eles arrastem as cadeiras ou que batam com as raquetas no chão. Não os deixamos ligar os brinquedos barulhentos às sete da manhã nem permitimos que andem de bicicleta no corredor. Não somos assim tão desleixados. Verdade seja dita, também não estamos assim tanto tempo em casa. A coisa resume-se a duas horas de manhã e duas horas à noite, a partir das nove e picos entramos em modo silêncio. E ao fim-de-semana, desde que não chova, passamos o máximo de tempo na rua.
Mas eu percebo-o. Deve ser irritante ouvir aqueles pézinhos pequeninos a correrem de um lado para o outro em cima da nossa cabeça. Eu percebo-o mas, como não tenho dinheiro para comprar uma casa com quintal, não posso fazer nada.
Da última vez que o encontrámos no elevador, o meu vizinho de baixo disse-nos, com toda a sua arrogância, que acha que isto é um problema de educação. Provavelmente ele tem razão. Talvez se eu ligasse a televisão para eles verem desenhos animados logo de manhã eles não corressem tanto. Talvez se eu os habituasse a jogar computador antes de dormir a vida do meu vizinho fosse mais fácil. Mas essa não é a educação que eu lhes quero dar. Cá em casa brinca-se. Tanto quanto for possível. E brincar faz barulho, lamento. Os meus filhos têm seis e dois anos (nem isso) e, por isso, é normal que gritem, que corram, que lutem, que brinquem com os carrinhos, que joguem à bola. São crianças.
Se quer mesmo paz e silêncio, meu querido vizinho, acho melhor que compre uns tampões para os ouvidos. Ou então que tente encontrar outro sítio para morar.

Labels: ,

19 Comments:

Blogger Carla Isabel said...

Sugere a compra de um ultimo andar ou uma moradia ISOLADA!LOL

O senhor deve ter um problema por resolver...se calhar n tem filhos!!!

Bjs

11:24 AM  
Anonymous Anonymous said...

Aconteceu-me o mesmo. Aconselhei a comprar uma vivenda bem isolada.



Maria

3:25 PM  
Blogger Débora said...

Toda a vida vivemos em apartamentos e nunca ninguém se queixou de nada, nem quando o meu irmão nasceu e enquanto era pequeno. Recentemente, a minha mãe mudou de casa e a vizinha de baixo, que aparenta viver sozinha e não ter filhos, já veio queixar-se mais que uma vez. Diz que consegue ouvir todas as conversas e até já quis ensinar à minha mãe que existem umas "coisinhas" que se colam aos pés das cadeiras para não fazerem barulho (o mais engraçado é que as cadeiras já têm essas "coisinhas"). A mim parece-me que há pessoas que não têm mais com o que se ocupar a não ser com a vida dos outros.

4:34 PM  
Blogger ines said...

Não posso deixar de comentar !! Tenho 4 irmãs, quando éramos miúdas a brincadeira era muita e o soalho de madeira antiga e os sapatos preferidos para andar por casa eram socas…
O Sr. Pires ( o vizinho) berrava pelo prédio que um dia nos matava a todas!! Não matou … ;)
Curiosamente também tínhamos uma vizinha por cima de nós que usava socas, tinha muitas amigas e ria muito. Ainda oiço o bater da colher na chávena de chá e tenho saudades.

Inês

5:06 PM  
Blogger macaco do 1ºD said...

sofri desse mal, durante 10 anos, com putos no andar de cima...

Olha, se possivel linka este blog. Fiz o mesmo ;)

http://osmacacosdosotao.blogspot.com/

5:33 PM  
Blogger Cookie said...

Sinceramente, eu sofro desse mal - vizinhos barulhentos. Mas só me queixo quando esse barulho acontece a horas em que eu quero dormir, ou então de manhã bem cedo. E neste caso, não estamos a falar de crianças. As crianças fazem barulho, isso é evidente... Sabes, se os pusesses a ver TV, o teu vizinho ía-se queixar na mesma. Do som da TV :-) Há pessoas que são assim...

11:24 PM  
Blogger Avessa said...

Como se costuma dizer "quem está mal que se mude", principalmente se forem pessoas de tolerância 0!

9:04 AM  
Blogger princesa das estrelas said...

Nem mais, João. Eu também tenho um vizinho que se passa com o barulho dos nossos jantares, ao sábado, às 22h. E também não deve gostar muito das brincadeiras do Henrique. Temos pena

4:11 PM  
Anonymous Anonymous said...

Compreendo o vizinho. Se há duas coisas que detesto neste mundo é barulho e crianças. E sim, os dois estão interligados, mas quando eu era criança nunca fui barulhenta. Brincava silenciosamente com os meus cavalinhos em miniatura, fazia desenhos e via TV. Sempre fui silenciosa, e ainda hoje aprecio paz e sossego, duas coisas difíceis de encontrar hoje em dia.

9:38 PM  
Blogger Ferreira-Pinto said...

Ia tudo bem até ao remate final!

12:56 PM  
Blogger Espiral said...

Nem tanto ao mar nem tanto a terra.
Acho uma falta de respeito pelas outras pessoas não tentar que os filhos tenham mais cuidado com o barulho.

Enfim, só se pensa nas coisas quando nos toca a nos.

5:23 PM  
Blogger Rita C said...

Adorei este post... eu por acaso já disse muitas vezes... nós das duas uma, ou o andar de baixo está sempre desabitado ou então temos uns vizinhos santos porque verdade seja dita que eu acho que os meus em termos de barulho batem os teus aos pontos... porque são 2 rapazes, da mesma idade com 3 anos... e tb faço como tu, meias anti derrapantes sempre em casa, bolas de pano, não deixo ligar brinquedos barulhentos de manhã nem dps das 21 horas e regra geral 22 horas o silêncio impera lá em casa. Nunca ninguém se queixou é certo... mas o andar de baixo bé alugado e as pessoas não param lá mto tempo... LOL... eu acho... acho... que a culpa não é nossa! :)))

Beijos

Rita

3:55 PM  
Anonymous Anonymous said...

Eu também não tenho filhos(porque não quero) e não tenho que aturar com o barulho dos filhos dos outros,só pk são criancinhas.Quando o teu vizinho chamar a policia pode ser que te expliquem o que é TOLERÂNCIA e BOM SENSO.

8:21 PM  
Anonymous Anonymous said...

Caro/a anónima... das 8:21PM

Enganou-se... Onde escreveu "pode ser que te expliquem o que é TOLERÂNCIA e BOM SENSO" queria de certeza escrever "pode ser que LHE expliquem o que é TOLERÂNCIA e BOM SENSO" ... ao vizinho, claro, já que aqui a Gata explicou que não deixa os filhos fazer barulho impróprio , muito menos a horas impróprias! E já agora pode chamar a polícia as vezes que quiser, eles vão lá, batem à porta, esclarecem porque estão ali... e vão-se embora... nada mais acontece... pode chamá-los as vezes que quiser!
Um beijinho enooorme, tá bébé?
Leonor

9:54 PM  
Blogger CM said...

Não podia concordar mais com este post.
Adorei, quem não gosta de crianças, não gosta do barulho que fazem e afins, tem que escolher sitios elitistas para viver, condominios fechados, com 300 regras e onde tal como a frase diz: "O silêncio é de ouro" e desde sempre que o ouro não é gratuito!!!
Tenho 3 filhas e a mim própria me incomodam certos barulhos... mas no limite temos que conseguir sempre perceber que são crianças... e é que natural que sejam expansivas, natural e saudável.

Bem, sem palavras... fico estupefacta... com o resto!!!

11:50 AM  
Blogger Ana said...

Percebo inteiramente o que queres dizer, tanto em relação ao vizinho que só vive para se queixar dos outros, como em relação à educação. Hoje em dia as crianças são muito presas às televisões, consolas e computadores. Aqui à uns anos, quando eu era pequena (também não foi assim à tanto tempo que eu "só" tenho 23 aninho), a minha vida era feita ou na rua a brincar com os outros meninos do bairro onde a minha avó morava, ou em casa da avó a brincar com bonecas, tachos e panelas da avó :P Moral da história, hoje em dia os miúdos não têm vida social, para eles socializar é falar no MSN e no Facebook, e conhecer pessoas novas é adicionar não-sei-quem nas redes sociais às quais pertencem (ou então ir beber copos até cair, com 14 ou 15 anos já, mas isso é outra história...). Enfim.

Moral da história: o teu vizinho não deve saber o quão bom é ter crianças felizes em casa :)

Passa pelo meu bloguezinho que foi criado ontem, sim? =)

Enfim

1:41 PM  
Anonymous Lotus said...

Boa Tarde,

Preferia ter as suas crianças em cima da minha cabeça... Até porque o mais provavel era juntar-me a elas no jardim ou convida las a ir brincar la para casa. Não tenho filhos! Ou melhor tenho um filho de 4 patas que também corre que nem um doido lá em casa e se eu não lhe dou atenção larga a bola no chão. Os vizinhos de baixo até devem levantar os pés do chão! Mas nunca me disseram nada. Trata-se de um belo labrador de 42kg, talvez seja por isso. Acho que se fosse um pirralho de 15kg já teriam dito... Enfim mas o que eu queria dizer é que os meus vizinhos de cima não têm crianças. Não. Têm a a mania de pinar a qq hora e bem alto. Para que o prédio não tenha duvidas do que lá se passa. E eu nao tenho coragem para lhe dizer que os oiço. Nem no elevador, nem no jardim nem em parte alguma. Se os seus vizinhos quiserem de-lhe o meu contacto. Eu troco com eles :P

4:44 PM  
Anonymous Anonymous said...

isto é mesmo de pessoas mal educadas... veja-se... as crianças tem direito a brincar, tem e DEVEM!!! Mas deve-se evitar que o façam dentro de casa, ou entao explicar-lhes desde crianças que o devem fazer de forma moderada, gostava de saber como e que daqui a uns anos lhes vai ensinar o que sao limites... lembre-se bolas de pano sao muito boas, mas e os calcanhares a bater no chao? ja pensou em pedir ao seu vizinho para lhe deixar escutar o barulho que os seus filhos fazem? vá lá baixo e escute, ai de certeza que nao se nota muito, mas garanto-lhe que no apartamento de baixo se ouve mais de 10 vezes mais alto, agora imagine os seus filhos quando tiverem 8 anos, ou 10, ou 15... a idade aumenta o peso tambem, o barulho muito mais, por acaso sabe o que é ter de aumentar o volume ao maximo para poder ouvir televisao sem o barulho dos vizinhos? pois é... as crianças que brinquem... brinquem muito pois tem todo o direito do o fazer... alias tem a obrigação, mas os outros tambem tem direito a descansar... certo? entao temos de tentar ser mais humildes, tentar dar aos outros o que queremos para nos... e para que conste, nao sou nenhum velho, tenho filhos, e ate sou bastante jovem, mas com um enorme sentido de educaçao e responsabilidade... tenho pena que nao haja muitas pessoas assim... vamos ser amigos e respeitadores, ja é tempo!!!!

muito obrigado

10:50 PM  
Anonymous Anonymous said...

A nossa liberdade termina quando invade a liberdade do próximo.
A senhora Maria João tem é que dizer aos seus filhos que não estão sózinhos no Mundo, que há mais gente, e que estas precisam de ser respeitadas e que tem direito a um estado universal: a uma vida de sossego sem strees.
É por pensar assim como pensa e diz, minha senhora, que ás vezes se dão "acidentes" e problemas.
Não há ai um jardim perto?
E se fosse ao contrário o que faria a senhora?
Aposto que chamava logo a policia, " não façam a mim o que faço aos outros " não é?

11:18 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home