Sunday, September 11, 2011

Da impossibilidade

Estava um dia cinzento, com muitas nuvens no céu e um ar abafado, e lembro-me de estar, já depois das notícias, em pleno casino do estoril a entrevistar uma actriz glamorosa e, de repente, a meio da conversa, ficámos a olhar uma para a outra e percebemos que nada daquilo fazia sentido, que não podíamos estar ali a falar de teatro e subsídios e tretas enquanto esperávamos que as torres se desmoronassem. Como se fosse blasfémia falar ou pensar noutra coisa qualquer ao mesmo tempo que havia pessoas a lançar-se em desespero do centésimo andar.


(escrito a pedido do Nuno Galopim e publicado hoje no http://sound--vision.blogspot.com)

Labels: ,

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home