Wednesday, November 24, 2010

Da greve

Aqueles que acham que os jornalistas não deveriam poder fazer greve devem ser os mesmos que acham que os jornalistas não deveriam ter cor política. E, já agora, digo eu, também não deveriam ter religião nem clube nem sequer opinião sobre coisa nenhuma (ou só a política nos é interdita?). Não podia discordar mais. Os jornalistas são, ou pelo menos deveriam ser, pessoas informadas, cultas, inteligentes, ou seja, têm tudo para poder ter uma opinião esclarecida. E devem tê-la. E devem manifestá-la nos locais e momentos certos.
Falam-me da imparcialidade. Da objectividade. Como se fosse um bicho papão. A objectividade, meus caros, não é mais do que um instrumento - uma técnica que se usa para fazer notícias e que passa por coisas como ouvir as várias partes, não ser tendencioso, confirmar os factos, confirmar as bocas ditas em off, questionar os comunicados, pesquisar, fazer perguntas, duvidar, procurar provas, não copiar press releases, ter sentido crítico, partir para um trabalho sem preconceitos, ter curiosidade. A objectividade que eu uso para fazer notícias garante-me que estas não irão reflectir a minha opinião mas serão antes o resultado de um trabalho bem feito. E só isso. Se o jornalista fizer bem o seu trabalho, o facto de fazer ou não greve não tem nada a ver com aquilo que ele escreve no jornal sobre a greve ou sobre o governo ou sobre outra coisa qualquer. Uma coisa é o meu trabalho, outra é aquilo que eu sou e penso. E raios me partam se eu não sou muito mais do que aquilo que escrevo todos os dias em notícias de dois mil caracteres.

E não, não estou a defender a greve. Estou só a defender o direito à greve.

Labels:

5 Comments:

Blogger Juanna said...

Havias de ver um telejornal das 21 aqui em Madrid. É de chorar a rir quando os jornalistas se põem a dizer notícias assim: "e cá temos mais uma absurda medida deste absurdo governo" . Coisas assim.

9:51 AM  
Blogger Sophis said...

Gostei tanto, tanto deste teu texto, que nem podes calcular o bálsamo que ele foi para mim, nesta manhã pós-greve (a que aderi pela primeira vez na minha vida. bj

11:20 AM  
Blogger MAG said...

Concordo, mas as opiniões devem ser expressadas no sítio certo. Por exemplo, num jogo de futebol acho mal os jornalistas ficarem contentes com um golo de uma equipa e manifestarem descontentamento com um golo da equipa adversária. Bjs

11:26 AM  
Blogger MC said...

Jornalista não tem cor política, nem clube de futebol... No exercer da sua profissão. Agora o que eu faço ou deixo de fazer na minha vida pessoal, só a mim e aos meus me diz respeito. E se quiser aderir à greve, também adiro. E se quiser manifestar-me, também manifesto. E se quiser insultar o governo, também insulto... Por acaso os jornalistas são menos pessoas que os demais?!?

4:50 PM  
Blogger José said...

Olá,

Achas que a imagem da classe dos jornalistas está um pouco turva, digamos assim, por causa de uma procura de sucesso ?

Muitas vezes quando leio uma notícia, pergunto-me se ainda existem revisores, é que lê-se com cada erro.

Cumprimentos,

José Carrilho

1:14 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home